Lima, Cusco e Machu Picchu em 2019 - resumo não tão resumido da viagem

Em 2019 ainda tive a sorte de conhecer o Peru. Uma das hashtags oficiais de turismo do país diz: "Perú, país más rico" e eu só posso concordar. Tivemos uma viagem encantadora, e ainda demos muita sorte de pegar um clima excelente! Nosso roteiro incluiu hospedagens em Lima, Cusco e Águas Calientes, e vou comentar sobre as três com mais detalhes em breve. Vou também, depois, falar com mais detalhes dos restaurantes da viagem, afinal o Peru é famoso pela gastronomia!

Vou registrar o roteiro que fizemos e alguns comentários, e é sempre bom lembrar que 50% do nosso grupo tinha idade entre 6 e 11 anos, o que às vezes ou define ou altera uma programação!

Dia 1:

Dia 2:

  • Parque Central de Miraflores - que tem a maior quantidade de gatos que já vi e é também conhecido como Parque dos Gatos

  • Iglesia Virgen Milagrosa

  • Malecón de Miraflores

  • Shopping Larcomar - almoço na Tratoria di Mambrino

  • Brincadeiras na pracinha ao lado do Larcomar

  • Visita ao Parque das Águas

  • Tentativa de ir ao Museo Mário Testino, mas estava fechado para um evento particular (foram só muito simpáticos e deixaram todas as crianças usarem o banheiro num momento de aperto).

  • Jantar em Barranco no Awicha - o restaurante era simpático, pequeno, mas não foi minha melhor refeição no Peru. De qualquer maneira, ele está muito bem avaliado, e indo sem crianças deve ser uma experiência diferente...


[gallery size="large" columns="4" ids="7427,7429,7431,7430,7432,7433,7434,7435,7436,7437,7439,7440"]

Dia 3:

  • Museo Larco, que é super indicado para crianças pois se preocupam em ter um mapa com atividades para os pequenos; muitos artefatos e explicações sobre os povos ancestrais, tapeçarias, até o sistema contábil dos povos é apresentado

  • Almoço no Café do Museo - aliás, um complemento excelente à visita, então sugiro fortemente que você vá ao museu pela manhã e já almoce no restaurante local

  • Centro Histórico de Lima, que nos arredores possui muitas lojinhas boas para compra de lembrancinhas de viagem


[gallery columns="4" size="large" ids="7444,7445,7446,7447,7448,7449,7450,7451,7452,7453,7454,7455"]

Dia 4

  • Visita ao sítio arqueológico Huaca Pucllana: sítio na cidade de Lima, visitado exclusivamente com guias próprios, que explicam a história de povos pré-inca que habitaram a região. Explicam costumes, demonstram espaços de produção, funerais e rituais. Muito legal. As visitas saem em horários regulares, com guias em espanhol ou inglês.

  • Almoço no restaurante Huaca Pucllana: outra ideia bacana é conciliar a visita com o restaurante do local, que é muito bom! No nosso caso, almoçamos lá... Mas vi que à noite o local deve ficar bem bonito! Se possível, peça uma mesa de frente para o sítio, foi o que fizemos e adoramos! Uma dica: quem fez a reserva para nós foi o concierge do nosso hotel, que, com isso, nos deu de brinde um pisco sour para cada adulto do grupo - já falei que adoro um brinde?

  • Voo Lima x Cusco

  • Hospedagem no Novotel Cusco


[gallery columns="4" size="large" ids="7467,7462,7463,7464,7465,7466,7588,7469,7471,7590,7459,7472"]

Dia 5

  • Passeio no centro histórico de Cusco

  • Visita ao Museo Inka - apesar do nome de apelo, achamos bem simples, mal cuidado em alguns pontos até... mas com crianças era uma possibilidade, e tentamos sempre extrair o melhor do local! O prédio é muito bonito, mas é impossível não fazer uma comparação com o Larco, que foi bem mais bacana para o nosso público.

  • Visita ao Choco Museo, que pra nós foi, na verdade, uma loja: havia atividades, mas não planejamos com antecedência e os pequenos também não se interessaram muito, então, só compramos e comemos chocolate mesmo!

  • Almoço no Inkagrill: restaurante simples por fora, mas uma graça, comida boa e atendimento super cortês. Adorei! Fica bem na praça central de Cusco.

  • Descanso no hotel para ambientação e diminuição do soroche (mal de altitude)

  • Jantar no Morena Peruvian: mais um restaurante que fomos a pé, pois o nosso hotel era bem pertinho do centro de Cusco. O Morena também é surpreendente: uma entrada até "singela", mas lá dentro ele é enorme, decorado, umas pinturas super bonitas! Drinks feitos à vista do freguês, ceviche delícia e um clima muito bacana! Vale a visita.


[gallery columns="5" size="large" ids="7476,7491,7477,7478,7479,7490,7482,7484,7486,7488"]

Dia 6

  • Trem para Águas Calientes com a IncaRail - serviço bacanérrimo e as paisagens mais lindas da viagem no caminho; houve um problema com o nosso trem original e eles nos deram um upgrade para compensar... foi muito bom! Havia drinks incluídos e comida. Ao final, ainda deram um repelente de cortesia!

  • Chegada e acomodação ao lado - literalmente ao lado - da estação do trem - não recomendo mesmo e em breve falarei mais sobre isso...

  • Caminhada pela cidade e visita às piscinas de águas quentes (uma experiência assaz curiosa - mas que se você não passar, não vai perder nada... aliás, pode deixar passar na minha opinião)

  • Jantar no Incontri del Pueblo Viejo: super valeu a pena também, restaurante e pizzaria que tem uma fogueira bem no meio para aquecer. Tudo que pedimos estava bom, e vale a pena comer lá! Lugar charmoso e atendimento cordial. O único porém: fecha cedo (22h), então, se não reservar ou não chegar cedo, não vai conseguir.


[gallery columns="4" size="large" ids="7595,7493,7503,7591,7496,7592,7495,7502,7593,7498,7499,7500"]

 

Dia 7

  • Machu Picchu: você tem que agendar o horário para entrada no sítio arqueológico. Como chegamos de véspera, fomos de manhã e foi muito bom! Um guia é fundamental, porque o lugar é riquíssimo e sem as informações você perde muita coisa de interesse. Há vários guias que ficam na entrada mesmo, mas nós fechamos previamente, ainda no Brasil, o passeio completo (ônibus, ingresso e guia). Vou detalhar mais em um post só com algumas percepções sobre esse lugar sensacional, que vale demais a visita!

  • Almoço no Ayasqa, restaurante do hotel Tierra Viva, em Águas Calientes: era um buffet que foi embutido no pacote para Machu Picchu, mas não curtimos muito. A comida era boa, mas nada de excepcional e achamos que poderíamos ter ido a outra opção... Não era nada muito original, mas como já estava no combo e as crianças estavam famintas após o passeio, acabamos ficando por lá mesmo. Mas, como sugestão, acho que tentaria o restaurante do hotel Sumaq, sobre o qual ouvi falar muito bem... Aliás, numa próxima ida eu daria um jeitinho nas contas para ficar também hospedada lá... Veja o site e tire suas conclusões!

  • Passeio pela cidade - que é bem simples, mas onde eu achei um certo charme. Ruelas, subidas, construções por terminar... e o rio cortando a cidade, que é cheia de estátuas - especialmente de Pachacuteq (adorado líder inca), gravações em pedras...

  • Retorno a Cusco com a PeruRail - e o passeio, que era para aproveitar o fim de tarde e pôr do sol no caminho saiu totalmente de mão quando o trem descarrilhou... sim, descarrilhou e ficamos umas 4, 5 horas parados até a solução... Perrengues que você não controla, e depois só ri, fazer o que...

  • Hospedagem no Novotel Cusco


[caption id="attachment_7519" align="aligncenter" width="300"] Carimbo especial no passaporte[/caption]

[gallery columns="2" size="large" ids="7508,7509,7510,7511"]

[gallery size="large" ids="7514,7513,7515,7580,7562,7517"]

Dia 8

  • Visita a Chinchero: outro sítio arqueológico muito bacana, e onde achei que havia muitas coisas legais - tradicionais - para comprar, num preço bom... Achei até um chapéu para ficar #peruvianstyle.

  • Almoço e visita a Ollantaytambo: almoçamos em Ollanta, num restaurante indicado e que nos agradou muito, o El Albergue. Ele fica na estação de trem e de lá fomos para o sítio arqueológico propriamente dito... como saímos para o passeio com atraso, acabamos tendo que "correr" um pouco, não foi o ideal...

  • Visita às Salinas de Maras: fim de tarde pós-correria e demos a sorte de chegar a Maras, onde as salineiras fechavam às 19h, por isso conseguimos ainda entrar. No caminho pras "piscinas" há muitas bancas vendendo sal, chocolates, flor de sal... Excelente lembrança de viagem também. Cada uma das piscinas de sal tem um dono, e é uma propriedade. Passa por herança! Hoje não permitem que cheguemos mais perto, para tocar, para evitar a contaminação do produto. Mas ainda assim é um lugar muito diferente de tudo! Curti bastante!


[gallery columns="4" size="large" ids="7524,7537,7538,7522,7539,7525,7540,7543,7542,7526,7528,7529,7530,7533,7534,7532"]

Dia 9

  • Passeio no centro histórico de Cusco

  • Almoço no Chicha Cusco, restaurante do Gastón Acurio, expoente da culinária peruana e - para mim - o nome mais famoso quando se trata do assunto. Fizemos reserva antecipada, e gostei bastante do local! O restaurante é bem bonito e tem um cardápio variado. O mais sensacional para os 50% infantis do grupo, no entanto, foi a sobremesa! Escolhemos uma que tem aquelas esferas de chocolate e que são derretidas por uma calda quente! Foi uma farra!

  • Retorno ao Brasil - que pena!


[gallery size="large" ids="7551,7564,7563"]

[gallery size="large" ids="7560,7550,7552,7554,7557,7556"]

 

Eu achei esse roteiro muito bom, mas se fosse para recomendar, ficaria com um dia a mais para dormir em Ollantaytambo. Isso porque queríamos muito ir para lá, e achei que valeria a pena ir para dormir antes de ir para Machu Picchu. Nós optamos por fazer num passeio bate-volta de Cusco, e com isso tivemos que abrir mão de Moray. Mas acabou dando certo, apesar de o circuito Chinchero x Ollantaytambo x Maras ter exigido muito deslocamento (que fizemos com um guia local que tinha visto indicação, mas que deixou alguns furos conosco, como um atraso na saída do passeio que acabou causando uma correria desnecessária ao longo do dia).

Procurando informações para dar dicas para amigos, me deparei com esse roteiro do Viaje na Viagem, e achei que seria o ideal para uma primeira visita!

Uma coisa importante: tinha lido que a melhor época para ir era em julho, pois há menos chance de chuvas e deu muito certo. Pegamos dias lindos, céu azul... Mas sei que foi sorte, porque uma conhecida foi com poucos dias de diferença e pegou Machu Picchu totalmente coberta de névoa... Super frustrante.

Pegamos alguns dias mais frios, mas em geral o clima estava bem agradável. Não precisamos de casaco pesado em nenhum dia. À noite, claro, esfriava mais, mas nada que gorro e casaco não resolvesse - cheque sempre a previsão do tempo antes de ir. A variação térmica ao longo do dia foi grande, especialmente em Cusco.

[gallery columns="2" size="large" ids="7566,7567"]

Lima tem um clima curioso: ficava o dia inteiro meio nublado, parecia que ia chover e não chovia nunca - aliás, o índice pluviométrico lá é baixíssimo, uma das razões para o sítio Huaca Pucclana ainda estar de pé e tão inteiro como está, como nos explicou o nosso guia do sítio.

[gallery size="large" ids="7569,7568,7570"]

A viagem foi sensacional, apesar de vários perrengues que passamos! Hoje, são histórias para contar e servem de dicas para outros viajantes! Vou fazer um post sobre isso, mas o principal é minimizar os problemas sobre os quais você tem controle (horários, antecedência, janelas de tempo) e relaxar e entender que os outros você não pode resolver (descarrilhamento de trem).

Outra coisa interessante: o Peru tem muitas coisas legais para ver e curtir, encontramos uma família no trem que descarrilhou e tivemos tempo para falar de como o lugar é legal! Eles estavam vindo de uma viagem de 20 dias, foram a Nazca, fizeram vários outros passeios! Há muito o que explorar no Peru.

Assim que puder viajar de novo - e tenho fé que poderemos viajar muito - pondere fazer essa visita!

Machu Picchu é um lugar a se conhecer sim! Mas todos os outros que fomos foram encantadores também! Talvez, fazer como o Ricardo Freire sugere: planeje tudo e deixe Machu Picchu como encerramento. É uma ideia bem legal. Não foi o nosso caso, e não achei ruim. Mas que o ponto mais famoso não é mais famoso à toa, isso é verdade.

Então, fica a recomendação! Vá conhecer o Peru!

Informações adicionais:

  • Voo Brasil x Peru via Latam;

  • Transfer do aeroporto de Lima a Miraflores pela Taxi Directo (telefone 711 1111), contratado no aeroporto (como chegamos tarde e o preço era bem razoável, optamos por não esperar um Uber); todos os demais trajetos feitos em Lima ou foram a pé ou foram de Uber, que funcionou bem - necessário chip ou roaming interancional, contudo;

  • Voo Lima x Cusco com a Sky, empresa local

  • Transfer do aeroporto de Cusco ao Novotel contratado direto no aeroporto (uma van), cujo contato aproveitamos e marcamos a volta para o aeroporto também;

  • Transfer Cusco x Poroy (estação de trem) e Poroy x Cusco contratado via agência no Brasil (Vetru Viagens)

  • Ingressos de trem, ingresso de ônibus, entrada e guia de Machu Picchu fechadas todas via agência (Vetru Viagens) - você só pode ir a Machu Picchu nos ônibus municipais, então, sempre atente para esse combo. E a procura - em tempos de normalidade - é bem grande, logo feche a viagem (passagem) combinada com a data de visita Machu Picchu.

  • Busque informações sobre os restaurantes e providencie reservas bem antecipadas... Muitos são famosos e não têm disponibilidade.


 

OBSERVAÇÃO DO PERÍODO DE DISTANCIAMENTO SOCIAL


Todos os links que busquei - de atividades, restaurantes - para colocar aqui indicaram que os estabelecimentos estão temporariamente fechados. É um período complicado, e espero que essas dicas sirvam, num futuro, quando viagens forem possíveis novamente. Quando isso acontecer, quem sabe o Peru não será um destino na sua lista?

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cape Town - hospedagem na Cidade do Cabo

Hospedagem no Pop Century

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *